terça-feira, 28 de fevereiro de 2006

coração premiado

"De tanto bater, meu coração parou", filme de Jacques Audiard. Foto Sédif Productions / France 3 Cinéma

Candidato em 10 categorias da premiação, o filme "De tanto bater, meu coração parou" (De battre mon coeur s'est arrêté), de Jacques Audiard, confirmou o favoritismo na 31ª edição do César, a mais importante distinção no cinema francês.

Na cerimônia, ocorrida sábado passado, 25, o longa faturou as estatuetas de melhor diretor, melhor filme, melhor ator coadjuvante, para Niels Arestrup, atriz-revelação, a chinesa Linh-Dan Pham (o que não foi bem uma "revelação": ela ficou conhecida em 1992, com o filme "Indochina"/Indochine, de Regis Wargnier). Foram premiadas ainda as categorias técnicas, como melhor roteiro adaptado, de Jacques Audiard e Tonino Belacquista; edição, de Juliette Welfling; fotografia, de Stéphanie Fontaine; e trilha sonora, de Alexandre Desplat, também consagrado no Festival de Berlim.
O evento não tem a divulgação merecida, principalmente nessas semanas quando a imprensa mundial se volta em torno do Oscar.

O filme narra o conflito de um homem de 28 anos, dividido entre seguir os passos de seu pai no imoral e às vezes brutal mercado de negócios imobiliários, ou se tornar um grande pianista, assim como foi sua mãe. A produção é uma refilmagem de "Fingers", de 1978, com roteiro e direção do americano James Toback, visto como um "cineasta maldito", autor de filmes difíceis, pouquíssimo conhecido no Brasil, hoje com 62 anos. "Exposed", de 1983, com Nastassia Kinski, talvez seja o seu filme mais "popular"...

Nenhum comentário: