sexta-feira, 3 de fevereiro de 2006

olhos de gueixa

Uma semana antes da estréia, o longa "Memórias de uma gueixa" (Memoirs of a geisha), de Rob Marshall, foi proibido pelo governo chinês, sob a alegação de que poderia reacender no país sentimentos hostis em relação ao Japão.

A Sony, distribuidora do filme, já havia sido notificada de que o público chinês poderia não gostar de ver três de suas principais atrizes (as belíssimas Ziyi Zhang, Gong Li e Michelle Yeoh) nos papéis de gueixas japonesas, que muitos chineses consideram prostitutas. Jornais e programas da tv local freqüentemente falam da ocupação da China pelo Japão nos anos 1930 e 1940.

Baseado no livro homônimo de Arthur Golden, lançado no Brasil pela editora Imago, o filme foi produzido por Steven Spielberg e concorre ao Oscar deste ano em 6 indicações (direção de arte, figuro, fotografia, música, som e edição som). O enredo conta a vida de uma jovem vendida pelos pais para viver como escrava numa casa de mulheres e receber treinamento para se tornar gueixa. Ambientado no Japão das décadas próximas à eclosão da Segunda Guerra Mundial, a história tem o mérito, entre tantos outros, de expor o lado machista oriental. As gueixas passavam anos de rigoroso aprendizado, começando na adolescência, e até mesmo na infância, para depois divertir homens, geralmente uma elite formada por empresários, políticos, artistas e até membros da Yakuza, a máfia japonesa. A diversão consistia basicamente em cantar e dançar. Mas ficou comum, principalmente fora do Japão, serem confundidas com prostitutas de luxo. Atividade que ocorria, não necessariamente.

Apesar da proibição, é possível comprar dvds piratas do filme nas ruas de Pequim e Xangai por apenas US$ 1.

Um comentário:

Magno disse...

o filme é maravilhoso.