sábado, 4 de fevereiro de 2006

cinema brasileiro para todos


“O cinema brasileiro deveria custar R$ 2, qualquer filme brasileiro que entrar em cartaz. Quer a panacéia? É essa. A única saída é transformar o cinema na diversão acessível, a mais barata que existe. Até 1980, havia público fiel ao cinema brasileiro: as classes C e D. Esse público não existe mais. Ele não tem R$ 12 para ir ao cinema. A entrada, em 1970, custava uma passagem de ônibus.”


“O governo deveria estimular quem quiser abrir salas de cinema para exibir filmes brasileiros. Deveria haver uma forma de financiamento, sem burocracia, sem encheção de saco, mas com todo acompanhamento. As leis no país foram criadas para quem já tem estrutura. É preciso estimular a abertura de novas salas. Aqui é terra de ninguém. A ambição do cinema brasileiro é ganhar Oscar...”


Trechos da entrevista do cineasta Carlos Reichenbach, o Carlão, ao jornal Correio Braziliense de hoje.

Nenhum comentário: