domingo, 19 de fevereiro de 2006

hegemonia ocidental

"O grande ditador" (The great dictator), de Charles Chaplin, 1940

"A hegemonia cultural da civilização ocidental se construiu na base da 'superioridade racial' dos brancos. Nenhum instrumento foi tão importante para essa hegemonia do que Hollywood. E os arquétipos de Hollywood têm profundo caráter racista. Os filmes de cowboy ou de farwest apresentavam os indígenas, massacrados pelos colonizadores, como bandidos, enquanto John Wayne e seus colegas, como mocinhos. Por sua vez, os filmes de guerra dos EUA são sempre contra outras raças — asiáticos (japoneses, coreanos), africanos, árabes. Pouparam sempre o país que promoveu a maior 'limpeza étnica' da história da humanidade – os alemães, contra os judeus, os ciganos, os socialistas e comunistas. O único filme de peso que atacou frontalmente o nazismo, "O grande ditador', feito por Chaplin, causou tanto mal-estar que seu diretor teve que abandonar os EUA antes mesmo da estréia do filme."

Emir Sader, sociólogo, em artigo no jornal Correio Braziliense de hoje.

2 comentários:

Claudio Eugenio Luz disse...

Emir Sader é um homem lúcido e extremamente coerente. Gosto do que ele escreve e, principalmente, sobre a ousadia ao colocar os dedos naas feridas. Excelente post, meu caro.
.
hábraços
.
claudio

Ivã Coelho disse...

E hoje nem podemos mais chamar isso de mensagem sublimar, já tá tão na cara... Mas vejamos, ainda são poucos os que conseguem apreender a real por trás destes símbolos.

É assim.

abçs