segunda-feira, 6 de fevereiro de 2006

longa confidência


"O cinema se parece com o romance. Como um romance, o filme me faz uma longa confidência, me abre um mundo e reclama para ele a minha liberdade."


Barthélemy Amengual, crítico e pesquisador de cinema. Nascido na Argélia em 1919, faleceu ano passado na França, onde morava desde 1968. Publicou quase vinte livros. São estudos, análises e reflexões que vão de Chaplin a Eisenstein, passando por René Clair, seu cineasta predileto. Um de seus livros mais conhecidos é "Chaves do cinema" (Clefs pour le cinéma), de 1971, publicado no Brasil pela Civilização Brasileira numa ótima tradução de Joel Silveira.

Nenhum comentário: