sexta-feira, 29 de maio de 2015

à margem da imagem

  Mary Ellen Mark no início da carreira
“Fotojornalismo não existe mais. Muita foto de arte, muito Photoshop. É tudo decoração. Não há mais tempo para elaborar um bom trabalho”

Desabafo da fotógrafa norte-americana Mary Ellen Mark em 2013, que faleceu no último dia 25, aos 75 anos.

 
 Com Federico Fellini, nas filmagens de "Satyricon", 1969, quando fez still

O trabalho de Ellen, declaradamente influenciado pelo perfil estético de Cartier-Bresson, é um mergulho profundo nos seres humanos à margem de tudo: os artistas de circos mambembes, os homeless, os internados em hospitais psiquiátricos, as pessoas não visíveis, os outsiders.

still em "Apocalipse Now", de Francis Ford Coppola, 1979 
Muitos diziam que por sua beleza, Mary deveria ser sido modelo. Mas ela preferiu ser uma retratista, como se definia, ampliando seu talento além do fotojornalismo. Madre Teresa de Calcutá, Woody Allen, Johnny Depp, Robert Downey, Jr., Tim Burton, Liza Minelli, Kris Kristofferson, Angelina Jolie, Leonardo Di Caprio, foram algumas de dezenas de celebridades eternizadas por suas lentes. 

Apaixonada por cinema, Ellen foi também still de vários filmes e produziu documentários, além de editar livros temáticos.


 Marlon Brando nos intervalos de "Apocalipse Now"

Nenhum comentário: