segunda-feira, 27 de junho de 2016

cores de Kieślowski



O cineasta polonês Krzysztof Kieślowski teve uma vida curta, uma morte precoce, aos 54 anos. Mesmo assim, deixou uma significativa filmografia com 28 títulos.
Como o compatriota e contemporâneo Roman Polanski, sua carreira dividiu-se entre a terra natal e França, onde a partir de 1990 começou a dirigir filmes que tiveram uma visibilidade maior em termos de mercado.
Dessa fase, é famosa a chamada Trilogia das Cores, com os ótimos A liberdade é azul (Trois couleurs: Bleu), A igualdade é branca (Trois couleurs: Blanc) e A fraternidade é vermelha (Trois couleurs: Rouge), realizados em 1993 e 94.
Com referência às cores da bandeira da França e menção ao lema da Revolução Francesa, os filmes abordam tramas e dramas atuais tendo como fundo a unificação da Europa, os conflitos de imigração, os laços de amizade.
A trilogia foi seu último trabalho. Em 1996, dois anos depois do lançamento de A fraternidade é vermelha, o rouge do coração de Kieślowski parou após complicações de uma cirurgia.
Hoje ele faria 75 anos.

Nenhum comentário: