sábado, 18 de junho de 2016

a última madrugada

"Cada coisa chegará no tempo próprio, não é por muito ter madrugado que se há de morrer mais cedo."

José Saramago, que madrugou pela última vez há seis anos, 18 de junho.

Nenhum comentário: