quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

um homem e seus tempos

Quando o século mudou para 1900, Oswald de Andrade tinha dez anos de idade. A passagem de um tempo para outro mexeu muito com a cabeça daquele menino curioso, filho único de uma abastada família paulistana.
A mudança de um ano sempre impressiona, é como se dobrássemos uma esquina e o tempo seria outro totalmente diferente, muito além do que destacar uma folhinha no calendário. Imagine, então, a mudança de um século!
Oswald de Andrade cresceu com esse espanto. E cresceu em um tempo cheio de mudanças. O adolescente Oswald viu a chegada do bonde elétrico, do rádio, da propaganda, do cinema. O mundo em ebulição. E em ebulição a cabeça daquele jovem que viria mudar muita coisa na literatura brasileira.
A Semana de Arte Moderna de 1922, o Manifesto da Poesia Pau-Brasil, o Manifesto Antropófago, o Modernismo no Brasil: tudo é sinônimo de Oswald de Andrade.
Hoje ele faria inimagináveis 127 anos de idade.
Acima, foto da exposição “Oswald: culpado de tudo!”, no Museu da Lingua Portuguesa, em SP, 2011.

Nenhum comentário: