domingo, 8 de janeiro de 2017

a alma do tempo

Segundo consta nos alfarrábios pré-Wikipedia, no dia 8 de janeiro de 1840 o abade Louis Compte, capelão de um navio-escola francês, aportou de passagem pelo Rio de Janeiro, e apresentou ao jovem Imperador Dom Pedro II, a invenção do Daguerreótipo, primeiro aparelho a fixar a imagem fotográfica. A data foi escolhida para celebrar o Dia Nacional do Fotógrafo.
Há controvérsias quanto a esse dia, e na imprecisão de outros cartapácios históricos, registra-se esse encontro em 16 de janeiro.
Uma data ou outra, se reverberou ao longo desses quase dois séculos que o Imperador solicitou ao francês uma demonstração do invento, digamos uma espécie de “test drive” da curiosa geringonça que ousava registrar a alma do tempo.
A comitiva monárquica acompanhou o abade prestativo com a parafernália por alguns pontos da Capital. No dia seguinte, no salão do lendário Hotel Pharoux, no local onde hoje é a Praça XV, foram apresentadas as imagens da fachada do Paço Imperial, chafariz do Largo, a Praça do Peixe, o Mosteiro de São Bento, e mais algumas fotos de objetos que estavam por ali naquela manhã ensolarada de “happening” histórico, sem direito nem conhecimento de “selfies”.
Abaixo, a agora digitalizada vista do Paço, considerada a primeira foto oficial brasileira.
Essa é a magia da fotografia: a simetria do tempo. Seja no dia 8, 16, hoje e sempre.

Nenhum comentário: