terça-feira, 3 de janeiro de 2017

em Brasília, 19 horas

Criado em 1935, o noticiário radiofônico Programa Nacional, tinha a finalidade de divulgar o governo de Getúlio Vargas. Foi criado por um amigo de infância do presidente, Armando Campos.
Três anos depois, exatamente há 81 anos hoje, Getúlio oficializa o programa, passando a se chamar A Hora do Brasil, com transmissão diária e obrigatória em todas as emissoras de rádio aberto. No governo de João Goulart mudou para o nome que hoje conhecemos, A Voz do Brasil, e já foi para o Guiness Book como o programa de rádio mais antigo do país.

No começo dos anos 2000 foi feita uma versão "moderna" do tema musical de abertura, o clássico O Guarani, de Carlos Gomes, com uns arranjos suingados de samba, choro, capoeira. Mesmo assim, e em que pese a importância e o alcance do rádio às regiões mais remotas, a alma do programa tem um bolor enfastiante.
Além do absurdo do Estado tutelar o que devemos ouvir, não faz sentido um programa para divulgar notícias dos Três Poderes, quando cada um deles tem estações de rádio e TV, além de páginas na internet.

Nenhum comentário: