domingo, 31 de julho de 2016

o futuro antigamente

“A realidade é muito complexa para ser transmitida pela tradição oral”. Essa é a frase que abre o filme Alphaville, de Jean-Luc Godard.

Numa cidade futurista, um computador aboliu os sentimentos de todos os habitantes. Um agente chega ao local para convencer o inventor a destruir a máquina.

Com esse enredo, Godard com sua perspicácia e genialidade realizou em 1965 um filme que poderia ser feito nestes distópicos anos 2000. Há dias em que temos menos manhãs, em que somos engolidos pelo que inventamos.

Alphaville é como uma projeção visionária, uma premonição a 24 quadros por segundo. Como a realidade é muito complexa, o cinema inventa a memória do futuro.

Nenhum comentário: