segunda-feira, 4 de julho de 2016

o cinema no cinema

Um rapaz se hospeda na casa de uma família de classe média alta, em Teerã, admiradores de arte, e passando-se pelo cineasta Mohsen Makhmalbaf pede ajuda para financiar um filme.

Abbas Kiarostami, que faleceu hoje aos 76 anos, desenvolve um enredo simples em uma narrativa de metalinguagem surpreendente, tornando Close-up, de 1990, obra-prima da cinematografia moderna.

Kiarostami referencia Makhomalbaf, um dos nomes importantes do novo cinema iraniano, como matéria e substância do próprio cinema, assim como ele, diretor, pulsa no corpo do personagem como o eu-consciente, um alter ego. O cinema reverbera em três personagens, dois que existem, e um que poderia existir. Ou um ficcional para onde bifurcam os verdadeiros.

O filme dentro do filme dentro cinema. Não à toa, o título.

Nenhum comentário: