quarta-feira, 16 de novembro de 2005

festival aruanda



Em 1960 o lançamento de "Aruanda", de Linduarte Noronha, inaugura o moderno documentário brasileiro. O filme, de 20 minutos, é um estudo etnográfico e sociológico sobre um pequeno grupo de negros, isolado numa região serrana da Paraíba. É um trabalho belíssimo. O diretor documenta a vida de descendentes de escravos que haviam fundado um quilombo. Nele, vivem à margem de qualquer outra civilização e se sustentam através do comércio de cerâmicas primitivas, vendidas na feira ao pé da serra.

Em pleno surgimento do Cinema Novo, "Aruanda" mostrou ao resto do país a sua própria pobreza. Glauber Rocha, nome principal do movimento, declarou que o documentário lhe inspirou, e que "pela primeira vez, sentimos valor intelectual nos cineastas que são homens vindos da cultura cinematográfica para o cinema, e não do rádio, teatro ou literatura. Ou senão vindos do povo mesmo, com a visão dos artistas primitivos, criadores anônimos longe da civilização metropolitana, como no caso dos dois paraibanos.”
O outro paraibano no caso é o fotógrafo e montador Rucker Vieira, considerado um co-autor do filme pela concepção das imagens em preto-e-branco. E Glauber passou a chamar o diretor de "São Linduarte".

Quarenta e cinco anos depois, o título do clássico de Noronha se presta, com muita honra, para nomear o I Festival Aruanda do Audiovisual Universitário Brasileiro que acontece nos dias 1, 2, 3 e 4 de dezembro próximo. A iniciativa é do Núcleo do Audiovisual (Nepau) do Departamento de Comunicação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e da TV Universitária da instituição que comemora neste 2005 seu aniversário de 50 anos de fundação. O evento vai contemplar vídeos nas categorias documental, ficcional, animação e filme publicitário produzidos por alunos de Comunicação Social de instituições públicas e privadas da Paraíba. O evento ganhou caráter nacional em função da inclusão da categoria Televisão Universitária Brasileira, na qual cada emissora poderá participar com trabalhos nos gêneros reportagem, programa de TV e documentário. As inscrições seguem até o dia 20 deste mês.

Os premiados receberão o Troféu Rodrigo Rocha de Vídeo Universitário (uma homenagem ao jornalista, produtor cultural e videasta morto prematuramente aos 26 anos durante filmagens de um documentário em João Pessoa, na década de 90).
Será ainda homenageado o diretor assistente do filme, João Ramiro Mello, com uma publicação assinada pela pesquisadora Berê Bahia.


"A lembrança de 'Aruanda' para nomear o festival é mais que oportuna porque em que pese o fato de a seara da ficção ter começado a deslanchar nos últimos anos na Paraíba, o fato é que temos uma vocação histórica para o cinema documental", disse o coordenador do Festival, jornalista e cineasta Lúcio Vilar, atual chefe do departamento de Comunicação da UFPB.

Maiores informações podem ser obtidas no site www.cchla.ufpb.br/aruanda

Nenhum comentário: