quinta-feira, 14 de abril de 2016

o guru da Tropicália

"As minhas divergências com todos os meus amigos são as mesmas que existem entre todos os indivíduos que realmente são indivíduos. Isso nada tem a ver com desavença, que é algo muito apetitoso para pessoas mal-intencionadas."
Rogério Duarte, em uma entrevista ao jornal Correio Braziliense, há três anos.
Artista gráfico, músico, compositor, poeta, tradutor e professor, já multimídia nos anos 60, mais do que um dos mentores intelectuais da Tropicália, Duarte foi um guru do movimento. Aliás, continua sendo, mesmo com sua ida pra outras tropicálias, hoje, aos 76 anos, em um hospital em Brasília, onde estava internado há dois meses em tratamento de câncer ósseo.
A bela canção de sua autoria, Gayana, que Caetano Veloso gravou no disco, Abraçaço, traduz bem a poética irreverente e ao mesmo tempo doce desse grande artista.
Na foto acima, de Bruno Torturra, feita em 2004 durante o Festival Encontro da Nova Consciência, em Campina Grande, contorna muito bem o espírito místico do artista.

Nenhum comentário: