segunda-feira, 18 de abril de 2016

a língua

Em março de 1951, o físico Albert Einstein saía com a esposa e um amigo de um evento em Princeton, Estados Unidos, onde comemorava seu aniversário de 72 anos. Vários fotógrafos o seguiram até o carro, insistindo que pousasse e sorrisse para as câmeras, o que já tinha feito quase a noite toda na festa.
"Já basta! É suficiente!", pedia. Como as palavras não convenceram o enxame de fotógrafos, entrou no carro, sentou-se e pôs a língua para fora, como se estivesse, digamos assim, dando uma banana aos inconvenientes precursores dos atuais paparazzos.
Arthur Sasse, fotógrafo da UPI, foi rápido no clique.
Einstein gostou tanto da foto que recortou a imagem, deixando apenas seu rosto, como ficou célebre. Fez várias cópias e enviou em forma de cartões postais para os amigos.

Nenhum comentário: