sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

um cineasta apaixonado

“Sempre preferi a reflexão da vida à própria vida", dizia o cineasta François Truffaut. 

Em 25 anos ininterruptos de trabalho, um dos maiores ícones do cinema dirigiu 26 filmes, conseguindo de maneira inteligente conciliar um grande sucesso de público e de crítica. Truffaut transformou sua traumática infância em um dos mais belos filmes de sempre, Os incompreendidos (Les 400 coups), longa de estreia, em 1959; traduziu a sua paixão como cineasta no único e definitivo filme sobre os bastidores de uma produção, o metalinguagem A noite americana (La nuit américaine), em 1973; expressou sua paixão pela alma feminina em O homem que amava as mulheres (L'homme qui aimait les femmes), de 1977. Em toda sua rica cinematografia, Truffaut amava a infância, o cinema, as mulheres - não necessariamente nessa desordem.

Hoje é aniversário de 83 anos desse aquariano que se foi tão jovem, aos 52 anos, quando começava a escrever a autobiografia.

Sua cinematografia reflete sua vida.

Nenhum comentário: