quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

lugar bonito

 foto Bob Wolfeson
"Na minha memória - tão congestionada - e no meu coração - tão cheio de marcas e poços - você ocupa um dos lugares mais bonitos."

De tantos fragmentos que Caio Fernando Abreu escreveu em sua vasta literatura, esse acima me toca pela concisão poética e pela lucidez e racionalidade ao mesmo tempo.

O autor gaúcho, que escreveu livros de contos, novelas, romances, peças de teatro, traduções (é dele a versão do clássico A Arte da Guerra, de Sun Tzu), tinha exatamente esse laconismo e exatidão na escrita, sem necessariamente ser minimalista. Usava as palavras no espaço certo, sem precisar se estender em sinônimos para total compreensão. Viveu em período brabo de ditadura militar, foi um dos primeiros a escrever abertamente sobre sexo numa visão dramática, e assumiu sem rodeios sua homossexualidade.

Hoje faz 19 anos que ele se foi, com apenas 47 anos de memória congestionada, coração marcado... mas ocupa um lugar bonito em nossa lembrança, na literatura brasileira. Onde estiver.

Nenhum comentário: