quarta-feira, 26 de agosto de 2015

um conto a mais

O escritor argentino Julio Cortazar dizia que o conto é como fotografia, o romance como cinema. O cineasta Michelangelo Antonioni o contradisse quando filmou, em 1966, Blow-up - Depois daquele beijo, adaptado de um dos seus mais curtos textos, As babas do diabo.

Vários outros cineastas fizeram o mesmo, com vários contos de narrativas psicológicas, surrealistas, como Jean-Luc Godard, Luigi Comencini, Diego Sabanés, Guilherme de Almeida Prado, Roberto Gervitz, Manuel Antin, Jana Bokova, Sergio Bianchi, Claude Chabrol, Nina Grosse... A lista é longa, dá um romance.

Cortazar, que foi muito e merecidamente festejado ano passado, por ocasião do centenário de nascimento, faria mais um conto de aniversário hoje.

Nenhum comentário: