sábado, 11 de julho de 2015

o ser e o não ser

Neste sábado, 11, justamente quando faz 26 anos da morte do maior ator shakespeariano, Laurence Olivier, ganho de presente o ótimo livro de ensaios de Theófilo Silva.

Sob a ótica da obra do grande dramaturgo, o autor faz nas páginas de Shakespeare indignado, uma precisa dissecação de acontecimentos, do cotidiano, da política, das relações pessoais, de tudo, e nos prova o quanto a visão de William Shakespeare é atual, é atemporal, é sempre.

Visionário, é como se o dramaturgo tivesse dito nas entrelinhas de suas peças maravilhosas: "decifra-te ou devore-se, oh, ser humano!" E disse.

E impressionante como Theófilo, com uma escrita admirável, imparcial e apartidária, analisa a tudo e a todos através dos fatos nossos de cada dia.

Há muito tempo dedicado à pesquisa e estudo da obra do dramaturgo, expondo suas análises em livros, sites e palestras, Theófilo Silva é, sem favores, doutor em William Shakespeare.

Desculpe-me a preferência e o trocadilho, Bárbara, Eu-Lhe-Adoro, mas sou mais o Theófilo.

Nenhum comentário: