segunda-feira, 30 de março de 2015

professor do cerrado

Há dez anos partiu uma das pessoas mais sensíveis e gentis com quem convivi, o amigo cineasta argentino-brasileiro Lyonel Lucini.

Apesar de sempre me chamar de "professor", com ele aprendi muitas coisas de cinema e de vida em longas conversas. Ele vindo do deserto da Patagônia, eu do sertão do Ceará, convergimos no cerrado de Brasília onde moramos, histórias que inspiraram em comum nossos trabalhos.

Nenhum comentário: