domingo, 22 de julho de 2018

Gil

“Dos tantos que me preferem calado / poucos deles falam em meu favor / a maior parte adere ao coro irado / dos que me ferem com ódio e terror / já para os que me querem mais ativo / mais solidário com o sofrer do pobre / espero que minha alma seja nobre / o suficiente enquanto eu estiver vivo”
- Trecho de Ok, ok, ok, ok, ok, ok”, canção de Gilberto Gil, que abre o disco de composições inéditas, com lançamento previsto para agosto próximo. O single está disponível nas plataformas digitais.

O novo álbum do cantor baiano, que tem faixas em parcerias com seu filho Bem Gil e o amigo Jorge Bastos Moreno, jornalista falecido ano passado, traz nas letras o que o autor chama de “papo reto” sobre a vil situação em que o país vive.
Com quase dez discos lançados nesses últimos anos, entre álbuns de releituras, participações e ao vivo, Gil não apresentava um com músicas inéditas desde 2010, quando lançou Fé na festa, dois anos após deixar o Ministério da Cultura do governo Lula.

Nenhum comentário: