quinta-feira, 13 de outubro de 2016

o carteiro Zimmerman

"Não sou eu. São as músicas. Eu sou só o carteiro. Eu entrego as músicas."
- Bob Dylan

O "carteiro" Mr. Robert Allen Zimmerman ganhou merecidamente o Prêmio Nobel de Literatura de 2016, para surpresa de muitos.

Dylan não é "apenas" um letrista em suas músicas: é um poeta que desenvolveu em vasta discografia reflexões sobre temas pertinentes à condição humana, no amor, na política, na religião, e paralelo às canções em álbuns antológicos, publicou livros de poesia, como o ótimo Tarântula, de 1971, lançado no Brasil quase 20 anos depois. A autobiografia Chronicles: Volume One, de 2004, é de uma preciosidade e sinceridade na escrita como pouco se vê no gênero.

Fortemente inspirado pelos intelectuais modernos norte-americanos e ingleses, Mr. Zimmerman adotou o nome do genial poeta Dylan Thomas, o dândi enviesado que logo no começo dos inquietos anos 50 pós-guerra, foi a inspiração para aquela turma da geração beat que aprontava todas, que por sua vez influenciou o cantor tornando-se um dos principais representantes do movimento na música.

Aos 75 anos, o Prêmio de certa forma responde em reconhecimento às perguntas que Bob Dylan fez ao longo de suas canções.

“The answer, my friend, is blowin' in the wind”

Nenhum comentário: