quinta-feira, 27 de outubro de 2016

beat acelerado

O poeta galês Dylan Thomas faria hoje 102 anos de vida. Era um anjo torto. Bebia pra caramba, e sucumbiu aos 39. Homem de gestos largos, teatral na recitação dos seus poemas, quando foi para os Estados Unidos, no começo dos inquietos anos 50, tornou-se uma espécie de inspiração para aquela turma da geração beat que aprontava todas.
Tanto foi que um moço batizado Robert Allen Zimmerman, que veio a ser um profeta da música folk-rock americana, e muito tempo depois Prêmio Nobel de Literatura, passou a se chamar Bob Dylan em sua homenagem.
O poeta fotografado por Man Ray, 1946.

Nenhum comentário: