quinta-feira, 27 de outubro de 2016

a hora de Marcelia



— Eu gosto tanto de parafuso e prego, e o senhor?
Essa é uma declaração/pergunta de um dos diálogos mais surpreendentes, insólitos e ternos da literatura brasileira, dita por Macabéa, a personagem principal de A hora da estrela, de Clarice Lispector, escrito em 1977, levado ao cinema por Suzana Amaral, em 1985.
Marcelia Cartaxo vive a ingênua datilógrafa que namora o esperto Olímpio de Jesus, interpretado por José Dumont. Nunca o cinema brasileiro teve uma química tão precisa entre dois grandes atores.
Macabea é um personagem tão emblemático da nossa rica literatura quanto Macunaíma. Assim como Grande Otelo deu corpo e alma ao anti-herói de Mário de Andrade, no filme de Joaquim Pedro, Marcelia Cartaxo deu definitivamente cara, perfil e essência à criação de Clarice.
A atriz paraibana ganhou merecidamente o Urso de Prata no Festival de Berlim e o Candango no Festival de Brasília.
Hoje é aniversário dessa nordestina arretada de Cajazeiras, que se revelou igualmente uma cineasta talentosa.
Nós gostamos muito de você, Marcelia. E também de parafuso e prego.

Nenhum comentário: