sábado, 3 de julho de 2010

a poesia por todos

 foto ArquipelagoLivros


“Eu só acredito no delírio, do qual a poesia é uma das manifestações. Eu estou muito próximo da arte bruta, da arte dos loucos, das crianças, dos meus amigos grafiteiros de muro…A poesia deve ser feita por todos. Não para todos, mas por todos, cada um à sua maneira. A verdade é a variedade.”


O caos da cidade de São Paulo era maior fonte inspiradora. do poeta Roberto Piva. Em "Paranoia", publicado em 1963 e relançado em janeiro deste ano, Piva mergulhou em "torres chumbo", na "constelação de cinza" da metrópole e em "almas inoxidáveis flutuando sobre a estação das angústias suarentas". 

Faleceu hoje, aos 72 anos.

Nenhum comentário: