sexta-feira, 9 de julho de 2010

em Brasília, 19 horas

 
A Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado aprovou quarta-feira, dia 7, o projeto de lei que flexibiliza o horário de transmissão do famigerado programa "A Voz do Brasil".

Pelo texto, as emissoras comerciais poderão difundir o chatíssimo programa entre às 19h e 21h. O projeto será analisado agora pela Comissão de Educação antes de ir a plenário. Se aprovado, retorna à Câmara, pois mexeram lá em alguns itens da redação e precisam de uns retoques. Nas rádios públicas, não haverá alteração, e o maçante programa mantém o horário obrigatório.

Flexibilizar não significa muita coisa. Aliás, nada. É a mesma teoria de "liberdade vigiada", ou "você é livre para dizer o que eu penso".  Essa aberração radiofônica deve ser extinta, sumariamente. O programa é anacrônico, envelhecido, obsoleto. Não faz mais sentido em mundo de multiplicidade de mídias.


Criado em 1935, com  o nome de "Programa Nacional", tinha a finalidade de divulgar o governo no ditador Getúlio Vargas. Anos depois passou a se chamar de "A Hora do Brasil", e no governo do crudelíssimo Garrastazu Médici recebeu o nome que conhecemos hoje, com veiculação obrigatória em todas as rádios do país, por determinação do Código Brasileiro de Telecomunicações. E já foi até para o Guiness Book como o programa de rádio mais antigo do Brasil.


Recentemente fizeram uma versão "moderna" do tema musical de abertura, o clássico "O Guarani", de Carlos Gomes, com uns arranjos suingados de samba, choro, capoeira. Mas não adianta. A alma do programa é avessa, retrógada, de um bolor enfastiante. Além do absurdo do Estado tutelar o que devemos ouvir, não faz sentido um programa para divulgar notícias dos três poderes, quando  cada um deles tem estações de rádio e tv, além de páginas na internet. A "Voz do Brasil" pra mim é a mesma coisa de mandar correspondência pelo pombo-correio na era do e-mail.

4 comentários:

Ricardo Augusto disse...

Reação da Heloisa Helena ao saber da aliança entre o PT e a oligarquia do Maranhão!

Nirton Venancio disse...

Você quer dizer a foto, Ricardo? O texto é outra coisa.

Ricardo Augusto disse...

Apenas uma brincadeira com a cara de p... Ver maisânico da moça da foto, caro Nirton!
Quanto ao texto do blog, é interessante que, hoje mesmo,lí em algum lugar sobre esse anacronismo da 'Voz do Brasil", e que classificava a imposição desse programa a todas as emissoras, um resquício do autoritarismo da ditadura Vargas.
Aliás, oo folclorista Leonardo Mota contava um caso de que o Getúlio foi certa vez a uma cidade de um desses interiores do país, e perguntou se a "Voz do Brasil" era escutada pela população. O Político local,dono da casa, querendo fazer média disse: "Ora, Sr. Presidente! Aquí todos ouvem o programa! É sagrado". Nesse momento o rádio deu aquela introdução do "Guarani", e o Getúlio, o "coronel", os puxa-sacos e todos que estavam em volta do rádio escutaram aquela vozinha do papagaio que estava no poleiro: "Desliga! Desliga!É a Voz do Brasil!"
O bichinho já tinha decorado o que se dizia na casa quando começava o danado do programa de propaganda do Governo!

Nirton Venancio disse...

Olha aí, Ricardo, você sempre enriquece de informações as postagens...
E a brincadeira com a foto cabe bem.