domingo, 19 de agosto de 2007

sábado com Maurício

o fotógrafo Maurício Albano com sua filha Marisol. Foto acervo pessoal

"O tempo não é o mesmo sobre os aviões e os pássaros: / nas asas de um é tudo muito rápido / nas asas do outro é tudo muito livre", diz uns versos meus rabiscados no livro "Poesia provisória". E foi essa sensação de liberdade que senti ontem ao rever o meu amigo Maurício Albano, um dos maiores fotógrafos brasileiros. É tudo muito livre sobre ele e o seu trabalho.

Não via o Maurício há algum tempo. Ontem à tarde, num descanso pós-filmagens, fomos eu, Dim, Ângela e Fátima Façanha para um café com tapioca em sua casa. E uma cachacinha branca que ele foi pegar na bodega mais próxima, correndo no seu velho jeep feito um Fred Flintstone. Figuraça! Precisávamos brindar esse reencontro.

Maurício mora na mesma casa-sítio-estúdio que construiu já faz tempo às margens da Lagoa Redonda, um bairro hoje nem tanto afastado de Fortaleza. Ali vive, ali trabalha, ali planta, ali criou seus filhos, e não tem mesmo porque sair do paraíso para um apartamento na beira-mar.

Na minha adolescência em Fortaleza, Maurício era meu ídolo. E continua sendo. Com o acréscimo luxuoso de ser meu amigo. Em 1988 o convidei para fazer stil no meu primeiro curta-metragem, "Um cotidiano perdido no tempo". O que tinha do que se faz de inatingível nos ídolos, ele próprio desfez no convívio das filmagens, revelando-se com sua rolleflex, digamos poeticamente assim, uma pessoa de extrema sabedoria e simplicidade, características próprias dos grandes homens, destes que fazem a gente manter a crença na humanidade.
Eu tinha, então, na minha equipe, um dos papas da fotografia no Ceará, e passaria a ter uma pessoa rara no meu seletivo grupo de amigos - aqueles com quem tenho o prazer de beber uma cachacinha numa tarde de sábado. Conversamos sobre cinema, fotografia, artes plásticas, projetos. Contamos histórias, piadas, mentiras, verdades. Filosofamos, desfilosofamos. Uma tarde de risadas, abraços e afetos.

2 comentários:

Eleuda Carvalho disse...

Nirton, pássaro!
você e o menino Dim, e mil e um brinquedos. adorei o encontro com maurício. beijos dindins!

mauricioalbano@yahoo.com.br disse...

Bom dia Caro Nirton, foi super legal te rever!!!!!!!!!! Gostei do que li no blog. Estou orgulhoso dos comentarios a meu respeito. Concordo. Grande abraço deste que te admira. Mauricio