quarta-feira, 21 de junho de 2017

o lado B de bom

"Todos acham que é preciso muito dinheiro para fazer filmes. No fim, quanto mais dinheiro você tem, menos consegue fazer com ele. Para mim, sempre foi uma benção não ter dinheiro suficiente, porque aí eu precisava compensar isso com o trabalho de câmera, com ideias, com abstrações. É uma das coisas mais lindas que se podem fazer no cinema: inventar uma imagem quando não se pode pagar por ela."
- Wim Wenders no documentário Edgar G. Ulmer – o homem fora das telas (Edgar G. Ulmer - The man off-screen), de Michael Palm, 2004.
Além do cineasta alemão, Peter Bogdanovich, Roger Corman, Joe Dantes e outros falam sobre o trabalho de um dos mais talentosos diretores do cinema americano. Edgar G. Ulmer, austríaco radicado nos EUA, foi um dos mestres dos chamados filmes B, produções de baixo orçamento, sempre feitas em horários “de sobra” nos estúdios, equipamentos emprestados, atores desconhecidos... alguns ficaram famosos a partir de seus papéis e convidados para trabalharem com outros cineastas, como John Carradine, Robert Clarke, Arthur Kennedy, John Saxon. O próprio G. Ulmer foi ator de muitos de seus filmes para contornar a situação de grana.
Tão pouco conhecido quanto o cineasta é o documentário de Michael Palm, restrito à prateleira de DVDs de pouca locação, no lançamento à época. O filme está disponível no site Making Off.

Nenhum comentário: