segunda-feira, 12 de dezembro de 2005

Richard Pryor, ator



O ator norte-americano Richard Pryor morreu sábado passado, dia 1o, aos 65 anos, de um ataque cardíaco em sua casa, no Vale de San Fernando, Califórnia. Ele foi diagnosticado com esclerose múltipla em 1986 e, desde então, a sua saúde vinha se deteriorando. Com o humor que sempre o caracterizou, Pryor interpretou o papel de um paciente com seus sintomas reais em um episódio da popular série “Chicago Hope”, pelo qual concorreu ao prêmio Emmy em 1995.

Nascido em Peoria, Illinois, ele se destacou pela vocação cômica, através da qual tentou derrubar as barreiras sociais da minoria negra nos Estados Unidos. O êxito nas telas durante as décadas de 70 e 80 colocou Pryor entre as estrelas mais bem pagas de Hollywood.

Pryor co-escreveu o roteiro do divertido "Banzé no Oeste" (Blazing saddles), de Mel Brooks, 1974, e iria estrelar "A História do Mundo: Parte 1" (History of the world – part I), também de Brooks, em 1981, mas teve que ser substituído devido a um trágico acidente: viciado em drogas na época, ele tentou suicídio e acabou provocando um incêndio que o deixou com queimaduras de terceiro grau. Sua recuperação foi rápida e, logo depois, ele escreveu, produziu e dirigiu uma autobiografia: "Jo Jo Dancer, Your Life is Calling" (1986).

Em “O mágico inesquecível” (The Wiz), 1978, de Sidney Lumet, Richard Pryor tem uma das melhores atuações no cinema, vivendo o personagem-título. O filme em si é interessante pela versão com elenco negro, bem diferente do livro “The wonderful wizard of Oz”, de L. Frank Braum, que foi adaptado incialmente para as telas em 1930, o mundialmente conhecido “O mágico de Oz” (The wizard of Oz), de Victor Fleming, com Judy Garland cantando “Over the rainbow”. No filme de Lumet o roteiro por sua vez foi adaptado da peça teatral de William F. Brown, que fazia essa proposta de todos os personagens serem negros. O Mágico Pryor contracenava com Diana Ross vivendo Dorothy e Michael Jackson sintomaticamente fazendo o Espantalho.

Entre outros filmes mais conhecidos, estão "Car Wash" (Car Wash), de Michael Schultz, "O expresso de Chicago" (Silver Streak), de Arthur Hiller, ambos de 1976, e em 1980 "Loucos de dar dó" (Stir crazy), de Sidney Poitier, e a lastimável participação em "Superman III", de Richard Lester.

Nenhum comentário: