sábado, 3 de dezembro de 2011

o futuro em flashback

"Hiroshima, mon amour", Alain Resnais inovando o cinema em 1959, em direção ao futuro no mais perfeito uso narrativo de flashbacks.

Um comentário:

Luiz Carlos Lacerda disse...

As minhas amigas da época sabiam (e diziam) os diálogos de cor!Eu conheci ,anos depois, em Paris a Marguerite Duras - levado pelas mãos de seu jovem filho ao Rosebud - um club de jazz em Paris frequentado pela galera do Noveau Roman e artistas.