segunda-feira, 6 de setembro de 2010

a celebração dos balcãs

 
 foto Divulgação

O festival Cena Contemporânea, em Brasília, que começou dia 25 de agosto,  encerrou ontem à noite de forma apotéotica, magnífica!  A apresentação do músico servo-bósnio Goran Bregovic e sua Orquestra Para Casamentos e Funerais, na área externa do Museu Nacional da República, foi um dos espetáculos mais emocionantes a que assisti. Impossível agora calcular a quantidade enorme do público presente, todos em estado de êxtase com a música envolvente desse grande artista.
Foram duas horas de show. O bis foi outro show à parte. Goran e seus músicos não conseguiam sair do palco, "presos" aos aplausos e gritos da platéia.

Goran, autor de trilhas dos filmes de Emir Kusturica, como "Arizona dreams" e  "Underground", sempre foi um dos músicos mais populares do seu país, desde sua banda Botão Branco, lá pelos anos 70.

Graças a ele, a música balcânica foi apresentada ao mundo e influenciou muita gente boa, como os americanos do Beirut, os brasileiros André Abujamra e Móveis Colonias de Acaju e muitos DJs. Ele mescla de forma brilhante a sonoridade da música folclórica balcânica com acordes modernos. Sua orquestra é composta pelo volume de metais ciganos, vozes tradicionais da Bulgária, percursão típica da região montanhosa, cordas e um elegante coro masculino proveniente das igrejas ortodoxas e cristãs. Esse saboroso encontro profano da loucura cigana com o erutido religioso é que caracteriza a singularidade da música de Goran.

3 comentários:

Hercilia Callado Lopes disse...

Também estava lá... Muito bom.
Dancei que me acabei...he he he

Chico Sant'Anna disse...

Inesquecível!!! Sem dúvida alguma Nirton, será algo difícil de esquecer. Viva o Cena!! Viva Guilherme Reis!!!!

Adriana de Andrade disse...

Tô de ressaca até agora!!!