terça-feira, 14 de setembro de 2010

o poeta narrador

  foto Arquivo NV

Para o cineasta francês Claude Chabrol, falecido domingo, aos 80 anos, existem dois tipos de cineastas: o narrador e o poeta.
Ele explica melhor aqui.

Para mim ele foi os dois tipos. Filmes como "Os sete pecados capitais", "Mulheres fáceis", "Os primos", e tantos outros, provam isso. Chabrol, um dos criadores da Nouvelle Vague, foi o mais feroz crítico da burguesia francesa, dissecando-a no sentido histórico, analisando-a como comportamento gradativo e doente do ser humano.  A hipocrisia e o ridículo de seus personagens eram o retrato fiel de uma sociedade que ele combatia, nas comédias e nos dramas, de maneira corrosiva, áspera, e muitas vezes com deboche. Mas tudo com uma bela narrativa poética.

Um comentário:

Lázaro Luis Lucas disse...

claude chabrol foi um dos melhores cineastas da sua geração e das que se seguiram também. uma perda irreparável para o cinema.