sexta-feira, 22 de junho de 2007

afinidades eletivas

foto André Arruda

"O Bruno Barreto fez uma coisa que pouco tinha a ver com minha história. É chato comparar artista, mas me sinto muito mais próximo do Beto Brant que do Bruno, por questão de afinidade mesmo. O Bruno não aproveitou nada dos personagens coadjuvantes. Ele botou uma historinha de amor romântica. Isso me desapontou bastante."

Do escritor Sérgio Sant'Anna sobre a adaptação que o cineasta fez do seu livro "A senhora Simpson", de 1989, lançado nos cinemas com o título "Bossa Nova", em 2000. O roteiro foi escrito pelo casal Alexandre Machado e Fernanda Young, redatores do extinto "Os normais", da Globo. Os direitos autorais do livro pertenciam a Arnaldo Jabor, talvez guardados para uma possível volta ao cinema.

Bruno Barreto não tem se dado bem com as adaptações. Recentemente o ator e dramaturgo Juca de Oliveira esbravejou indignação com o que cineasta fez de sua peça teatral "Caixa Dois", transformado em filme, lançado no começo deste ano, e considerado totalmente infiel à obra que o inspirou.

A afinidade que o escritor fala com Beto Brant se deu com "Crime delicado", rodado há três anos, feito a partir de seu livro homônimo de 1997. E o roteiro é de um grande escritor: Marçal de Aquino, outro afinadíssimo com o trabalho de Brant.
Agora David França Mendes está filmando "Um romance de geração", texto teatral que Sérgio escreveu no começo dos anos 80.

Nenhum comentário: