segunda-feira, 29 de outubro de 2012

outro cinema

Não dou chance, sou implacável com o cinemão hollywoodiano babaca, vazio, beligerante, dopante, alienado e alienante, e fico empolgado com cinematografias tortas e com sangue nas veias, como o novo cinema asiático, por exemplo, por um bom exemplo.
Amanhã começa no CCBB Brasília, a Mostra de Cinema Coreano, com exibição de cinco filmes de uma nova geração de cineastas, como Kim Dal-Joong e Kang Hyong-Cheol. Uma safra quentinha, pulsante, produções de 2007 a 2012, que sabem tratar com inteligência e sensibilidade temas tão variados que vão de relações pessoais e familiares à culinária, passando por questões sociais.

A entrada no CCBB é 0800. Nem estacionamento paga. Mais do que fazer propaganda do local, divulgo o bom Cinema. A direção do espaço até deveria melhorar o atendimento ao público cativo, revendo algumas regrinhas chatas, como horário para pegar senhas, ampliar os horários de ônibus gratuitos para os que não têm carros, e outras coisas mais. É só dar ouvidos às reclamações, responder às questões que são depositadas pelos frequentadores naquela urninha de acrílico.

Nenhum comentário: