sábado, 12 de fevereiro de 2011

o passado no passado

 foto Bettman Corbis
 
"Atiramos o passado ao abismo, mas não nos inclinamos para ver se está bem morto."

William Shakespeare

8 comentários:

Maria Luzia Gregorio Oliveira disse...

o meu quase nunca está.fica sempre restos que as vezes machuca ou traz de volta uma enorme alegria,nao importa,só me resta aprender viver olhando pra frente compriendendo o meu passado e conviver bem com isso independente de erros e acertos

João Alberto Nogueira Tavares disse...

algumas coisas do passado precisam mesmo ficar mortinhas da silva.

Maria Luzia Gregorio Oliveira disse...

é com certeza elas devem ficar mortinhas da silva mas nao há como negar as marcas que ficaram boas ou mas.elas existem,o que somos hoje é resquício do que vivemos...

Chico Bororo disse...

Penso que o niilismo presente tambem deve ser suplantado... Todo aprendizado depende da memoria... O passado deve ser vivido! Desde que bateiado,catado e em seguida burilado para o bem do(a) garimpeiro que se deu å malaria de vive-lo sem medo.

Flávio Paiva disse...

"Para não cair é só não olhar para baixo", diz uma máxima incaica..

Chico Bororo disse...

Nem olhar para trås... Com (apenas) os olhos do EGO! Pois: "O ponto de vista é o ponto da queståo"!- Essa é do Raul.

Maria Luzia Gregorio Oliveira disse...

nao dá pra esquecer que no passado ficaram as noites de criança na fazenda dos meus avós eu era louca por aquilo tudo;dos meus sonhos de adolescência ,os momentos vividos com o meu pai que hoje já nao os tenho mais,enfim é o passado que me impulsiona para o que vem pelas frente e com o que aprendi espero que seja sempre o melhor,mas também se nao for aprendi nao desistir nunca (ah esqueci de dizer nao vivo preso ao passado )

Adriana Fernandes disse...

Acho que houve um ímpeto de me inclinar pra ver...mas me permiti o direito à dúvida de que bem morto ele estaria. A isso dei o nome de esperança