quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

o príncipe dos vilões

Pisa devagar, 2016!
Depois de David Bowie, vai embora Alan Rickman, o mais competente e charmoso vilão do cinema contemporâneo, o que fez brilhar produções mais-do-mesmo como Duro de matar, a série da magia Harry Porter, a aventura na floresta de Sherwood Robin Hood - O Príncipe dos Ladrões, e mais tantos de uma filmografia com quase 20 títulos, destacando-se Razão e sensibilidade, Michael Collins - O Preço da Liberdade, Dogma...

Rickman foi um grande ator de teatro, tipicamente shakespeariano. Nunca deixou de atuar nos palcos enquanto seguia carreira no cinema. Sua atuação em Marco Antonio e Cleopatra, foi sucesso de público em 1998. O mesmo aconteceu nas peças Vidas privadas, clássico do dramaturgo Noël Coward, e mais recentemente Seminar, texto da novata Theresa Rebeck.

Nenhum comentário: