terça-feira, 6 de novembro de 2012

Vil metal. Por isso, vil

"Eu aprendi / a vida é um jogo / cada um por si / e Deus contra todos / você vai morrer / e não vai pro céu / é bom aprender / a vida é cruel / homem primata / capitalismo selvagem"
(Titãs)

"E desde então eu vivo / com meu banjo / executando os rocks do meu livro / pisando em falso / com meus panos quentes / ... / enquanto você fala entre dentes / poeta bom é poeta morto..."
(Zeca Baleiro)

"Mas é preciso viver / e viver não é brincadeira não / quando o jeito é se virar / irmão desconhece irmão / aí dinheiro na mão é vendaval / dinheiro na mão é solução / e solidão"
(Paulinho da Viola)

"E hoje eu sei / que quem me deu a ideia / de uma nova consciência e juventude / está em casa guardado por Deus / contando os seus metais"
(Belchior)

"Imagine no possessions / I wonder if you can / no need for greed or hunger"
(John Lennon)

"Pois cantando neste mundo / vivo escravo do meu samba / muito embora vagabundo"
(Noel Rosa)

"O dinheiro não compra felicidade, mas compra uma imitação tão perfeita, que a gente chega a acreditar."  
(Maria Bethânia)

Nenhum comentário: