domingo, 19 de agosto de 2012

mestres da guitarrada

Pegue o carimbó, o merengue, o maxixe, a cúmbia, a lambada, uma guitarra, percussão e até um banjo, junte isso tudo nas mãos de talentosos músicos paraenses e o resultado é contagiante, dançante com sabor de açaí, tacacá, tucupi. Música regional e universal na sua mais completa tradução.

O projeto Invasão Paraense apresentado no CCBB Brasília de 3 a 18 deste mês foi uma das melhores programações musicais que passou por aqui. Na sexta-feira fiquei arrebatado, por assim dizer, com o show de Mestre Curica e Mestre Aldo Sena. O primeiro é conhecido por inserir o banjo na música amazônica. E o tempero funciona. Seu desempenho no palco prova o título de mestre como reconhecimento popular do gênero guitarrada. Mas o que me impressionou foi a habilidade de Aldo Sena na guitarra. A mim e a todos no teatro, quando uma multidão se aproximou do palco para cumprimentá-lo no final. Solos harmoniosos saem do seu instrumento, executado com a precisão, tranquilidade e segurança de quem sabe muito bem o que faz. Aldo revezava sua atenção nas cordas elétricas e os olhos na plateia igualmente eletrizada. Seu olhar era de satisfação em ver e comprovar o quanto ele é bom. Sem pedantismo, com simplicidade. Não "convencido", mas consciente. Merece todas as palmas e elogios. Um dos melhores momentos foi a execução de "The millionaire", pop instrumental dos anos 60 de Mike Maxfield, da banda inglesa The Dakotas, que ficou conhecido no Brasil pelo grupo Os Incríveis.

Enquanto isso, lá fora só conhecem deste Brasil brasileiro bobagens de não sei quem que quer pegar não sei quem.

Nenhum comentário: