domingo, 23 de setembro de 2007

o canto de Madeleine Peyroux

foto Cole Thompson

Não adianta, por mais que se esforce em evitar a comparação, o timbre de voz da cantora franco-americana Madeleine Peyroux lembra muito Billie Holiday. Se alguém passasse por uma loja e ouvisse o cd "Dreamland", com certeza acharia que se tratasse de um álbum inédito da diva do jazz. Nesse primeiro disco, de 1996, Madeleine parece reencarnar Billie, da primeira à última das doze faixas. É um disco cool, e mesmo recheado de canções antigas, há um jeito novo de interpretar vários standarts do blues, do jazz e também do country.

Madeleine Peyroux sumiu por quase dez anos, e em 2004 lançou igualmente ótimo "Careless love". Em algumas faixas dá para esquecer a semelhança com Billie, e ver que sua voz marcante na combinação da modernidade e clássicos da canção mundial, faz de Madeleine uma cantora única, sem malabarismos vocais.

E é exatamente esse seu estilo low profile que não combina em shows para grandes platéias, embora ela mereça a audição e aplausos de muitos. Assisti ao seu show ontem, sábado, no Centro de Convenções em Brasília, numa sala de concerto com capacidade para mil pessoas. Lotado! Um show inesquecível, raro, mas que ganharia um perfil mais perfect world (parafraseando o título do seu terceiro disco, do ano passado) se fosse apresentado numa sala menor, onde o público ficasse mais próximo. O jazz e jeito de Madeleine cantar combinam mais com espaços aconchegantes.

O show teve como base esse seu último disco, que tem uma ótima versão de "The heart of saturday night", de Tom Waits, e uma mais ainda original interpretação de "Everybody's talkin", conhecida na voz de Harry Nilson, na trilha do filme "Perdidos na noite" (Midnight cowboy ), de 1969, dirigido por John Schlesinger. Madeleine canta ainda "Smile", que Charles Chaplin compôs para seu filme "Tempos modernos" (Modern times), em 1936.

Pena que não incluiu nada de disco "Got you on my mind", que gravou em 2004 com o gaitista de blues William Galison. Fica para o próximo show, num cantinho mais apropriado.

Nenhum comentário: