domingo, 19 de novembro de 2006

o céu de Karim

Foto Divulgação


"Eu estava muito incomodado com filmes em que o tempo é refém da narrativa, e não das emoções dos personagens."

"Parece até que, no cinema brasileiro, a subjetividade é direito apenas de uma classe privilegiada. Tenho interesse por cinema de subjetividade, feito no Brasil, mas que não seja sobre uma elite."

"É complicado fazer cinema no Brasil, mas não tenho discurso amargo. Tudo na vida é difícil. Faço questão de dizer que cinema me dá imensa alegria, grande prazer."


Do cineasta KARIM AÏNOUZ, em entrevistas pelos jornais do país, durante o lançamento do seu segundo longa-metragem, "O céu de Suely".
Na foto acima dirige a atriz Hermila Guedes.

Nenhum comentário: