sexta-feira, 9 de outubro de 2015

morte e vida cabralina

"O amor comeu minha paz e minha guerra. Meu dia e minha noite. Meu inverno e meu verão. Comeu meu silêncio, minha dor de cabeça, meu medo da morte."

Esta maravilha de texto é a fala final do personagem Joaquim, do poema Os três mal-amados, livro Obras completas, do grande João Cabral de Melo Neto, o mais milimétrico de nossos poetas, que se foi há 16 anos hoje - em silêncio, sem medo.

Nenhum comentário: