terça-feira, 19 de abril de 2011

o último romântico

Roberto Carlos, 19 de abril, 70 anos de idade.

De todas as mesmas capas, essa é a mais bonita, do disco de 1972, onde tem a sua música mais confessional, "O divã".

Gostando ou não dele, Roberto faz parte da história brasileira, e mantém-se autêntico há cinco décadas, fiel a uma "fórmula", a um romantismo meio bossa-nova, meio rock-and-roll.

Cometeu uma burrada na vida dele: a proibição do livro "Roberto Carlos em detalhes", de Paulo César de Araújo, uma das biografias mais bem escritas que já li, fruto de quinze anos de pesquisa. Foi mal, Roberto. Para quem cantou o amor e o perdão em todas as letras, se contradisse com essa censura. 

Cara, você faz parte do nosso imaginário, não houve invasão de privacidade.  Ninguém que acabar com você. Corte essa e conserte a mancada que você deu. O show ainda não terminou. 

Não, não vou lhe poupar dessa reclamação no dia do seu aniversário. Sou seu fã, não sou súdito.

4 comentários:

Izaira Silvino disse...

assino em baixo seu testamento de fidelidade ao rei. e, veja, é uma bela declaração de louvor!!!!!! só você, belo nirton, seria capaz de, em anunciando o amor, denunciar, tão amorosamente, a escorregada do ídolo! beijos

Aila Sampaio disse...

Detalhes tão pequenos de nós dois são coisas muito grandes pra esquecer...

Hercilia Callado Lopes disse...

Essas recordações me matam...

Clara Angelica Porto disse...

nossa, como ele era lindo. um superstar. escreveu lindas páginas da nossa música, apesar das bobagens, e canta divinamente. meu deus, roberto carlos, o rei, setentão. pelé, o rei, setentão. é ver a vida passar pra gente também. ..