quinta-feira, 14 de abril de 2011

não! não! não!

 cena do filme "Pai-patrão", de Paolo e Vittorio Taviani

"Primeiro são os pais, peritos em anular a auto-estima dos filhos e provar que eles não servem para nada; depois a escola, que insiste em mostrar que a criança está lá para se comportar e obedecer e não para desenvolver seus talentos; e, por fim, a religião dá o toque final, castrando nossa felicidade e nos impringindo culpa.

Pais, escola e religião formam a base do que chamo de tripé da anulação, um bem-azeitado 'sistema de educação' que funciona com tal eficiência e habilidade em produzir pessoas inseguras e frágeis que quase ninguém consegue escapar.

(Nuno Cobra, em seu livro "A semente da vitória")


Abraço meus filhos: são pássaros soltos dentro de mim. A pedagogia do afeto é a única direção.

5 comentários:

William Lima disse...

Viva as escolas Waldorf, totalmente o inverso das escolas normais.

Deborah Dornellas disse...

sigo pelo mesmo caminho

Mariana Botelhho disse...

dá vontade de criar uma sociedade alternativa.

Willian Lima disse...

não precisa de sociedade alternativa, precisa conhecer a antroposofia das escolas waldorf e vai se pergunta se esse tipo de esconla existe mesmo.

Andrea Fernandes de Melo disse...

A Pedagogia do diálogo e da confiança.