sexta-feira, 22 de abril de 2011

as tentações da Páscoa


  foto Arquivo NV
Neste período de Semana Santa a televisão costumava reprisar alguns filmes bíblicos, como "Ben Hur" (Ben Hur), dirigido por William Wyler, em 1959, "O rei dos reis" (King of kings), 1951, de Nicholas Ray, ou até mesmo produções mais recentes, como a suntuosa minissérie televisiva "Jesus de Nazaré", de Franco Zeffirelli, de 1977, também lançada nos cinemas.
As reapresentações diminuiram, tanto em número como em qualidade. A Globo exibe em horário vespertino o fraco "Maria - Mãe do Filho de Deus", dirigido por Moacyr Góes, com Giovanna Antonelli e, nada-mais-nada-menos, Padre Marcelo Rossi.

O SBT apresenta no mesmo horário da concorrente, um tal "Judas e Jesus - A história da traição" (Judas), filminho dirigido pelo desconhecido Charles Robert Carner, com um elenco mais obscuro ainda, de 2005, lançado diretamente em dvd. E deve estar no ar na Tv Band, enquanto redijo estas sacrílegas linhas, o horrível "A paixão de Cristo" (The Passion - part 2), de Michael Offer, com elenco que nem vale a pena saber.

Nos canais fechados a maratona da Páscoa vai de "The Spirit - o filme" (The Spirit), de Frank Miller, que não tem nada a ver com o tema da semana, mas tem a bela, belíssima Eva Mendes e, de quebra, Scarlett Johansson, e entre e outro programas documentários, como "Crucificação", especiais sobre Hitchock e Claude Chabrol.

Este período pascoal é como aquele outro natalino. O interesse maior é pelo tamanho e sabores variados dos ovos de chocolates, assim como a noite de 24 de dezembro se resume aos presentes, perus-sadios e fachadas iluminadas de apartamentos. Nada contra uma coisa e outra. O que incomoda é a hiprocrisia de quem faz a festa.

Em bom tempo: na foto acima o ator Enrique Irazequi, interpretando Cristo em "O evangelho segundo São Mateus" (Il vangelo secondo Matteo), dirigido por Pier Paolo Pasolini, em 1964. O filme é excelente, foge a todo tipo de leitura que os títulos acima citados, e muitos outros, fizeram da "maior história de todos os tempos". Passar na tv? Não vejo a mais remota possibilidade.

Nenhum comentário: