terça-feira, 11 de janeiro de 2011

o elegante

 
O ator e compositor Mário Lago tinha uma elegância viscontiana. Comunista histórico, preso várias vezes, contradizia o protótipo que a direita fazia que esquerdista era feio, sujo e malvado.

5 comentários:

Lúcia Menezes disse...

Sabe, eu adoro o Mário Lago, talento, elegância, beleza ele é o tal! Acho que muitas mulheres choraram por ele rsrsrsrsrsss

Eliane Silvestre disse...

ele tem frases, textos muito muito bonitos... minha tia-mãe costumava repetir uma frase que dizia ser dele... não tenho certeza se é, ou se exatamente desta forma: "Não me importo de envelhecer, porque a outra opção é morrer".

Ricardo Augusto disse...

E, não esquecendo que se orgulhava de ter as três fontes de agua em seu nome:
MAR, RIO e LAGO:
A imensidão do mar
A fluidez do rio
A placidez do lago!
...Mas, será que as feministam já o perdoaram por "Amélia"?
Se não, deviam!

Eliane Silvestre disse...

Que lindo, Ricardo. Ele ficaria feliz em ler este poema com seu nome. Quanto a Amélia, estou com ele: luxo e riqueza não me enchem os olhos. Mas tb não chego a "achar bonito não ter o que comer". Se dá realmente para viver de luz, ainda não aprendi.... até gostaria hehe

Potengy Babi Guedes disse...

Assim também o grande bardo paraense Rui Barata, autor, junto com o filho Paulo André, das músicas que marcaram fortemente o primeiro disco de Fafá de Belém. Comunista tb, enfim, mui semelhantes os dois grandes homens.