quinta-feira, 22 de novembro de 2007

o momento de um filme

foto Divulgação

“Cada momento de um filme tem de ser o mais verdadeiro e autêntico do mundo. O momento vai acontecendo, você não o constrói. Falo aqui contigo e não sei o que vai acontecer, vai acontecendo, às vezes titubeio, às vezes não sei o que estou falando, às vezes dá um branco... A vida é um pouco assim. E é esse fluxo que dá humanidade ao filme. Se você está no fluxo, se está dentro da essência, nada vai estar errado. Pode estar chovendo ou não, o ator pode estar com vontade de rir ou não, porque não importa, a essência da cena estará preservada. É isso que vai dar a dinâmica, a naturalidade. É um risco. Às vezes, não dá certo. Mas é maravilhoso quando dá certo.”

José Eduardo Belmonte, cineasta brasiliense que está na mostra competitiva do 40º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Seu terceiro longa-metragem, "Meu mundo em perigo" será exibido hoje.

Nenhum comentário: