terça-feira, 25 de novembro de 2014

tudo que é sólido desmancha no ar...

 

foto Nirton Venancio

Homenagem ao grande escritor e filósofo americano Marshall Berman, que ontem faria 74 anos e se foi ano passado. Sua sólida literatura não desmanchará. 

Berman foi, aliás, é um dos maiores pensadores da modernidade. Seu livro mais conhecido, o ótimo "All that is solid melts into air: The experience of modernity", de 1982, lançado no Brasil em 86 com o título "Tudo que é sólido desmancha no ar", é uma análise interessantíssima do que seja modernismo e do que se diz pós-moderno. O título da obra é uma alusão ao pensamento exposto no Manifesto Comunista de Karl Marx e Friedrich Engels, de 1848. Goethe, Baudelaire, Dostoiévski, as vanguardas do século passado, todos passam pela dissecação crítica desse estadunidense que ia na contramão dos conceitos capitalistas e bélicos de seu país. Berman pra mim tinha um comportamento beatnik.

Nenhum comentário: