sexta-feira, 26 de março de 2010

pássaro formoso

 
"O romance do Pavão Mysterioso", primeiro e um dos melhores disco do cantor e compositor Ednardo, lançado em 1974, foi reeditado por Charles Gavin, baterista do Titãs, que faz um belo trabalho de pesquisa e divulgação da boa música brasileira.

O jornal Diário do Nordeste publicou na edição de ontem uma matéria com o cantor, que se encontra em Fortaleza para a divulgação de um cd e um livro sobre a Massafeira Livre, evento realizado em março de 1979, no Teatro José de Alencar, que reuniu mais de quarenta artistas, num "grande ajuntamento de som, imagem, movimento e poesia", como diz na contracapa do LP duplo lançado no ano seguinte.

Sobre o "Pavão", o relançamento é mais do que oportuno. Não pelo fato de a faixa-título, trilha de abertura da novela "Saramandaia", em 1976, ter projetado nacionalmente o trabalho do compositor cearense, mas por ser um disco emblemático na música que o Pessoal do Ceará fazia naqueles anos de chumbo, e se espalharia por todo o país.

A discografia de Ednardo precisa ser redescoberta. Como um menestrel, ele cantou as belezas das praias alencarinas, reverenciou personagens da história cearense; encantou-se com a sensualidade das mulheres, musas, e damas de peitos gostosos rosados doces; ergueu pelos palcos e praças em novas percussões as tradições do Maracatu já em busca da batida perfeita; pisou com todo o respeito em suas canções o chão sagrado dos sertões; expressou em versos e acordes a esperança e a saudade dos que descem para o sul-maravilha; procurou no fundo dos olhos do povo a linda pastora do tempo; venerou em banho de água sangria a lembrança dos companheiros do Araguaia; ficou inutilmente bêbado e triste como um peixe afogado para adiar uma briga de amor, porque ele sabe que primeiro se deve viver que é pra depois poetar.

Que a música de Ednardo continue em cds, ipods e downloads, pra menina meia distraída, repetir a sua voz. Porque cantar parece com não morrer.

2 comentários:

Selma Santiago disse...

Coincidência, outro dia estava dando uma geral nos meus vinis, e encontrei esse disco. Mas minha vitrolona tá sem agulha, ainda vendem.
Alguns discos que gosto vou procurar em cd.

Nirton Venancio disse...

Olá, Selma! que boa coincidência!