sábado, 15 de dezembro de 2007

o escultor de monumentos

Palácios das Artes, São Paulo. Obra de Oscar Niemeyer. Foto Nelson Kon


"A vida é mais importante que a arquitetura"


"Continuarei trabalhando enquanto viver, porque esse é o meu compromisso com a vida"


"A curva me atraía. A curva livre e sensual que a nova técnica sugeria e as velhas igrejas barrocas lembravam"


"Não acredito em arquitetura social em país capitalista. Nela existe a intenção perversa de amortecer reivindicações"


"Sou pessoa simples, aberta para a vida, apta a aceitar todas as mudanças que os tempos estabelecem"


"Os governantes que me convocaram sabiam da minha posição, pensavam que era equivocada e eu deles pensava o mesmo"


"Como é fácil para nós brasileiros invadir o mundo da imaginação. Nosso passado é modesto e tudo nos permite realizar"


"Não sei por que a minha arquitetura esteve na área dos grandes edifícios públicos. E, como eles nem sempre correspondem a razões sociais justas, tento fazê-los belos. Com isso os mais pobres param ao vê-los. É o que, como arquiteto, lhes posso oferecer"


"A arquitetura é um problema de sensibilidade"


"Tento utilizar minha notoriedade para fazer avançar as idéias"


"Eu faço a arquitetura que me agrada, ligada às minhas raízes e o meu país"


"Fazer arquitetura é criar beleza"


"Na arquitetura, a intuição tem um papel tão fundamental quanto o conhecimento"


"Quando sabemos demais, quando suportamos o peso do passado, somos prisioneiros de uma série de princípios, de apriorismos"


"A imaginação e espontaneidade são para mim a fonte da arquitetura"

"Sou aberto às emoções que vêm de fora, ao espetáculo da beleza: o pôr-do-sol no mar, a floresta tropical úmida e generosa, a luminosidade do céu, as mulheres"

"Hoje, como ontem, preciso trabalhar"

Parabéns, Oscar Niemeyer, pelos seus 100 anos de vida!

Nenhum comentário: